“Ele venceu aqueles que apostaram que iriam dobrá-lo”, disse o ex-ministro da Saúde, que visitou Lula ao lado do deputado Rui Falcão.


Redação RBA / Foto: REPRODUÇÃO


São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva venceu “a máquina de depressão e doença que montaram para ele aqui em Curitiba”, afirmou hoje (17), o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, depois de visitar o ex-presidente na carceragem da Polícia Federal em Curitiba. “Ele venceu aqueles que apostaram que iriam dobrá-lo. O presidente Lula está cada vez com mais vitalidade, mais forte e com mais energia. Ele disse que a saúde dele está boa, mas ele está preocupado mesmo é com a saúde do povo brasileiro, e com o que o Bolsonaro está fazendo com a saúde do nosso país”, disse Padilha.


Segundo o ex-ministro, que deu entrevista coletiva depois da visita, Lula pediu dados da proposta de orçamento do governo Bolsonaro. “Eu disse pra ele que no meio de uma crise de sarampo no nosso país, o Bolsonaro está cortando R$ 500 milhões do programa de vacinação”, informou.


Padilha também destacou que o presidente tem cobrado que sejam feitas visitas às unidades de saúde que perderam profissionais do programa Mais Médicos. “Eu contei para ele que até na cidade de São Paulo o Ministério da Saúde se negou a renovar o contrato de cerca de 40 médicos na semana passada, e a cidade está há duas semanas sem os médicos.”


Lula perguntou ainda sobre o impacto do teto dos gastos, por meio da Emenda Constitucional 95, que congelou por 20 anos os investimentos públicos. “Somando os três anos de vigência, essa emenda está tirando quase R$ 30 bilhões da Saúde. Ele ficou muito preocupado também com o que está acontecendo na educação, e os dados mostram que Bolsonaro está cortando pela metade o investimento em educação básica no próximo ano.”


O deputado federal Rui Falcão (PT-SP), que também participou da visita, disse que o ex-presidente disse “que a disposição dele é ficar em liberdade, sem nenhum condicionamento”. “Ele repetiu para nós que não está preocupado com o Supremo Tribunal Federal, nem com as alegações finais dos advogados. Ele está preocupado em reconhecer a inocência dele, porque ele não cometeu nenhum crime, não tem culpa, não tem prova e o julgamento como todos sabem foi parcial. Então, isso nos encoraja a continuar na luta”, afirmou.


Segundo Falcão, Lula também falou da questão do desemprego no país e da soberania nacional. “Estão destruindo o país, estão acabando com os direitos do povo, e ele insiste que o PT se empenhe na defesa da soberania nacional, que não é só o território, não é só a Petrobras, mas também os direitos do povo.”


Edição: Rede Brasil Atual - RBA e Web Rádio e TV Muira-Ubi.

Deixe seu Comentário