A atriz Regina Duarte, secretária especial da Cultura do governo Bolsonaro, está prestes a abandonar o navio, na esteira de Luiz Henrique Mandetta e Sergio Moro. É o que garantem seus aliados. Ela sofre ataques sistemáticos de subordinados seus.


Produção: Brasil 247 / Foto: Alan Santos/PR

247 - Regina Duarte, a mais espetaculosa nomeação do governo Bolsonaro em 2020, pode pedir demissão nos próximos dias. Foi assim que seus aliados interpretaram duas mensagens que postou nas redes sociais neste fim de semana. “Quando me desapego do que tenho, recebo o que necessito. É tudo que preciso aprender… desapego. Tá em tempo ainda”, escreveu Regina num post. “Seja o que Deus quiser”, registrou em outro.


Segundo o jornalista Robson Bonin, da coluna Radar, de Veja,  “a secretária foi isolada numa espécie de limbo administrativo desde que entrou no governo. Não tem força para convencer ministros a destravar sua agenda cultural e também não conta com apoio do Planalto para sequer escolher a própria equipe”.


Além disso, a atriz sofre ataques abertos de seus subordinados, sem que nada aconteça com eles. O mais notório deles é Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares.


Camargo postou no Twitter neste fim de semana um ultimato para que Regina Duarte deixe o governo: “Quem nomeia esquerdistas no governo Bolsonaro deveria ter vergonha na cara, retirar-se com sua turma e tentar voltar somente em 2022 por meio do voto! Se é um recado para a atriz? Sim!”


Edição: Brasil 247 e Web Rádio e TV Muira-Ubi
Leia Mais Aqui

Deixe seu Comentário