A defesa de Lula requisitou a suspensão do julgamento no TRF-4 sobre o caso do sítio de Atibaia diante das novas revelações sobre falta de isenção de Sergio Moro para julgá-lo. A revelação da negociação do ex-juiz com Jair Bolsonaro para conquistar um cargo no STF é uma das evidências


Produção: Brasil 247 / Foto: Ricardo Stuckert | ABr

247 - A defesa de Lula requisitou nesta quarta-feira (6) a suspensão do julgamento no Tibunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), referente aos embargos pendentes sobre o sítio de Atibaia, diante das novas revelações sobre falta de isenção do ex-juiz Sergio Moro para julgá-lo, exposta na explícita negociação do ex-juiz  com  Jair Bolsonaro para conquistar um cargo no Supremo Tribunal Federal (STF).


“Conforme exposto nas razões de apelação, há diversos fatos que mostram a suspeição do ex-juiz Sergio Moro e consequente comprometimento de toda a instrução deste processo. Dentre os apontamentos, está o fato do ex-juiz ter passado a integrar o governo do Presidente Jair Bolsonaro com o afirmado compromisso para assumir uma cadeira no Supremo Tribunal Federal”, argumenta a defesa de Lula.


A defesa também enfatiza que “as pretensões políticas do ex-juiz Sergio Moro não se afloraram repentinamente apenas após o pleito eleitoral de 2018 [quando ele assume a pasta da Justiça no governo Bolsonaro].


“Ao revés, têm elas origem anterior, como sempre afirmou esta Defesa com base em diversos elementos”, diz a defesa, explicitando as articulações políticas de Sergio Moro com intuito de prejudicar Lula.


A defesa de Lula cita Bolsonaro, que expôs as intenções políticas de Moro: “Mais de uma vez, o senhor Sergio Moro disse para mim: "Você pode trocar o Valeixo, sim, mas em novembro, depois que o senhor me indicar para o Supremo Tribunal Federal" 



Edição: Brasil 247 e Web Rádio e TV Muira-Ubi
Leia Mais Aqui

Deixe seu Comentário